Governança de TI: É preciso “evangelizar”!

23 Sep 2010

Olá meus caros!

Fazendo minhas leituras, me deparei com um dado estatístico que me deixou preocupado e ao mesmo tempo feliz. Segundo uma pesquisa realizada pelo MIT “só 38% das (grandes) empresas brasileiras têm governança de TI”, enquanto governança na área de finanças é de 95%. Isso me diz duas coisas:

  1. O Brasil está atrasado nas práticas de governança corporativa de TI, o que revela em muitos casos pouca preocupação com as informações das empresas, gerando altos riscos de segurança.
  2. Fico feliz por saber que há muito trabalho a ser feito nesta área, e, portanto, há muito $$ para ser explorado!

A governança de TI, nada mais é do que a utilização de boas práticas de gerenciamento de TI, não apenas pelos gestores de TI, mas pelos gestores dos negócios.

Não é fácil para muitos gestores de negócio entender porque precisam investir na sua infra-estrutura de TI. É comum ouvir coisas do tipo: “nunca gastei dinheiro com TI, porque agora irei fazê-lo?”, muitos só entendem que é necessário investimento quando incidentes ocorrem, causando a indisponibilidade de serviços essenciais para o negócio e a empresa perde muito dinheiro ou mesmo quando perdeu a base de dados de clientes, cobranças e outras informações estratégicas, perdendo mais do que dinheiro e sujando a imagem da empresa. A governança de TI tem o papel de mostrar os custos e benefícios envolvidos no gerenciamento de TI. Se dentro das grandes corporações somente 38% das empresas brasileiras tem efetivamente uma preocupação com este assunto, imaginem as pequenas e médias!!!

Vejo muitas matérias dizendo que os CIOs, ou gerentes de TI, devem ser uma espécie de “evangelizadores” dentro das suas empresas, pois precisam mostrar para os gestores do negócio o valor que a TI pode ter e os riscos existentes de um falho gerenciamento dos recursos de TI: pessoas, aplicações, informações e infra-estrutura. Traço um paralelo entre os CIOs e as empresas prestadoras de serviços em TI. Vejo que é nossa missão como prestadores de serviço abrir os olhos de nossos clientes para estas questões, que para nós são tão simples, porém, para os gestores de negócio é um assunto difícil de ser assimilado e entendido. Vejo que cada vez mais precisamos deixar a linguagem técnica um pouco de lado e falar mais com uma linguagem que os gestores de negócio entendam o custo/benefício de uma ótima governança de TI e com isso adquirir maior confiabilidade e fidelidade de nossos clientes, e claro, aumentarmos nossas receitas.

A matéria completa sobre os “38% das (grandes) empresas brasileiras têm governança de TI” pode ser acessada aqui.

(Este mesmo post que é de minha autoria está disponível em http://www.profissionaisti.com.br/2009/10/governanca-de-ti-e-preciso-evangelizar/)

Espero que tenham gostado. Um grande abraço!

RELATED POST
8 comments
  1. Parabéns mais uma vez pelo post. Mesmo fazendo um curso técnico em informática, pois tenho 16 anos, vejo que a governança de T.I nas empresas é indispensável.

    1. Olá Lucas. O curso técnico é um ótimo início. Com certeza nos próximos anos vamos falar muito sobre governança de TI. Como você diz, é indispensável.

      Um abraço,

      Emerson Dorow
      GovernançadeTI.com

Leave a reply

Comentários recentes

Categorias

Pesquisa ITSM

A TI da sua empresa utiliza uma ferramenta para registrar as solicitações de suporte?

View Results

Loading ... Loading ...

Calendário

September 2010
M T W T F S S
« Aug   Oct »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Parceria #GTI e TIEXAMES

Compre cursos na TIEXAMES e usando o voucher GTI você ganha 15% de desconto!

Sites Parceiros